Setor passa por uma evolução importante e a logística 4.0 já é uma realidade

A evolução está acontecendo e quem focar suas estratégias nessa transformação, certamente se manterá competitivo e lembrado.

O setor de transporte de cargas no País é enorme. Só o transporte rodoviário de cargas no Brasil representa mais de 77% de todo o deslocamento por rodovias. Além disso, o número de empresas no setor tem crescido ano após ano. Isso demonstra o alto interesse que o ramo desperta no mercado, afinal, se a indústria cresce, a necessidade de transportar produtos cresce junto.

A transformação digital e o emprego de tecnologias hoje já é um diferencial para as empresas de transporte de cargas, principalmente as que atendem as indústrias, que também estão migrando para a quarta geração. Portanto, aplicar essas novas ferramentas é imprescindível para o setor que transporta o PIB brasileiro.

É por meio desses sistemas e ferramentas avançadas que se garantirá a distribuição eficiente de produtos, a manutenção de estoques e a entrega das mercadorias ao cliente das empresas.

As transformações e inovações tecnológicas na logística se dão em diferentes níveis, nas atividades internas das companhias, na armazenagem e manipulação de produtos, até as atividades externas, como os processos de entrega e uso de drones.

As ferramentas tecnológicas também se tornaram essenciais e ampliam a eficiência da logística, agregando praticidade e precisão nos processos de transporte, como os sistemas que definem as melhores rotas de saída e monitoram a movimentação da carga, o que resulta em operações mais ágeis e menos onerosas.

Sem contar que a integração dos recursos tecnológicos no transporte de cargas possibilita que as empresas se alinhem às necessidades do mercado, mantendo-as competitivas diante da concorrência.

Avanços do setor

Os avanços estão aí para quem quiser vê-los e vão do aprimoramento dos veículos (com a fabricação de caminhões mais modernos e com mais tecnologias embarcadas) mais personalizados para a necessidade do frete e características da carga, ao rastreamento dos veículos e definição de rotas precisas por meio de GPS.

Sem contar a importância da implementação dos sistemas de gestão pelas transportadoras, que traz para os gestores uma visão mais ampla e maior controle sobre o fluxo de entregas, aumentando a qualidade dos serviços prestados ao cliente.

Novas tecnologias para o transporte de cargas já presentes no País

Para se manterem competitivos é imperativo que os gestores se atentem para as inovações tecnológicas que estão alavancando o setor de transporte de cargas. Veja algumas dessas ferramentas imprescindíveis para a garantia da competitividade e da eficiência:

Sistema de gestão de transportes

Fundamental para otimizar todos os processos logísticos, inclusive o transporte de cargas. O sistema de gestão de transporte otimiza os processos desde a definição da rota, até a gestão do fluxo de informações geradas pelos agentes internos e externos, de cálculo de frete, entre outras funcionalidades, como o total controle das operações e a obtenção de dados para elaborar planejamentos mais assertivos.

Garantir uma boa gestão de transportes é sinônimo de eficiência logística, mas também de desempenho aprimorado para a empresa, já que promover melhorias no setor também ajuda a otimizar o atendimento aos clientes, reduzir os custos operacionais e aumentar a competitividade do negócio.

Sistema de roteirização

Não é uma novidade, mas uma necessidade incontestável. Um sistema de roteirização otimiza os trajetos de entrega, o que resulta em redução de mais de 30% de quilômetros rodados. A conta é bem simples: quanto menor a quantidade de quilômetros rodados, menor será o consumo de gasolina, ou seja, redução de custos com abastecimento de combustível.

É uma ferramenta que ajuda nas tarefas relacionadas às cargas fracionadas, que não ocupam todo o espaço do veículo e cuja distribuição dos produtos ocorre em locais diferentes. Ela indica o melhor percurso, aponta o dimensionamento do tamanho do caminho com base no volume da carga para otimizar o tempo da operação e reduz os custos. Também monitora se o roteiro traçado para a entrega está sendo respeitado, o que influencia positivamente no gerenciamento da equipe.


Indicadores por radiofrequência

A identificação por radiofrequência (ou RFID de Radio Frequency Identification) define um método de identificação automática, realizada por meio de sinais de rádio. Muito utilizada em forma de etiquetas, com pequenos chips que transmitem informações em tempo real. No segmento de logística, a tecnologia RFID é essencial para o monitoramento efetivo de uma cadeia de suprimentos, à medida que facilita o inventário e gerenciamento de estoque.

As etiquetas RFID são colocadas no carregamento, embalagem ou produtos de uma empresa. Elas contêm um chip que carrega todas as informações referentes àquela mercadoria. A partir daí, os dados de várias etiquetas podem ser interpretados simultaneamente, sem a necessidade de aproximá-las do leitor ou scanner – tudo é feito por meio da emissão de sinais de rádio. Ao utilizar as etiquetas os gestores têm a possibilidade de alimentar o seu banco de dados com todas as informações de um carregamento recebido, sem a necessidade de cadastrar cada item manualmente. O processo ocorre de forma automática e instantânea, otimizando a gestão logística da sua empresa.

Drones para entrega de mercadorias

O mercado global de logística e transporte de drones pode chegar a 24,01 bilhões de dólares até 2026, com um crescimento anual de 19,1%, segundo dados da ReportsWeb. E o uso dos drones para a logística se somará aos tradicionais aviões tripulados, helicópteros, caminhões, carros, motos e embarcações. E esse é um caminho sem volta.

Muito em breve o drone já será uma opção para o transporte de cargas mais leves e, em alguns anos, será possível transportar itens mais pesados, e até pessoas. Mas se o crescimento do setor de drones como um novo modal é certo.

Para utilizar o equipamento é preciso estar atento e conhecer a regulamentação do setor consultando os órgãos da Agência Nacional de Aviação (Anac), responsável pela validação dos projetos e registro dos drones e pilotos, e pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), que autoriza cada operação respeitando limites de segurança.

Essa é uma das tendências mais inovadoras para a área de logística e, a partir dessa ferramenta, as empresas reduzem o tempo de entrega e os custos de transporte, aumentam o alcance de áreas, a segurança das mercadorias, já que as chances de assalto diminuem quando se usa esse recurso, além de beneficiar o meio ambiente com a redução do tráfego de veículos.

Fato é que as empresas de transporte de cargas, independente do modal, precisam estar antenadas em relação às tendências, ferramentas e outros aspectos que possam auxiliar no trabalho de atender às demandas e expectativas de clientes que esperam que suas dores e especificidades sejam entendidas e atendidas.

A Guima Express, referência no transporte rodoviário de cargas, tem como prioridade investir em um fluxo de operações mais ágil, eficiente e com custos reduzidos. A empresa sabe que a globalização, as transformações no comportamento do consumidor e, principalmente, a tecnologia mudaram completamente o ritmo do mercado, que está cada vez mais competitivo e exigente. E sabe que a inovação é considerada um fator extremamente estratégico para o sucesso de um negócio do setor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *